Solucione o problema, em vez de colocar uma máscara nele.

Quando você soluciona problemas em vez de por uma máscara neles, você deixa de fazer escolhas fáceis que evitem dor ou desconforto temporariamente.

Se você tem uma dor de dente constante, mas toma analgésicos diariamente em vez de ir ao dentista, você está mascarando o problema.

Se você está em uma relação comprovadamente incompatível, com uma pessoa que não lhe respeita, mas resolve permanecer por sexo ou para evitar a solidão, você está mascarando o problema.

Partindo dos dois exemplos acima, é muito simples:

Você deve ir ao dentista o mais rápido possível.
Você dever terminar a relação e conhecer alguém mais compatível. (de repente poder ser uma boa oportunidade para focar um pouco mais em você mesmo).

Colocar uma máscara no problema apenas adia o inevitável.
Mais cedo ou mais tarde você terá que lidar com ele, e provavelmente o preço que pagará para resolvê-lo será bem maior.

Imagine-se como uma criança de volta na escola, tendo que dar uma apresentação na frente da turma.

O professor pergunta: “Qual voluntário gostaria de começar primeiro?”. O professor prossegue: “Algum voluntário?”

Você não se atreve a levantar a mão, você não aguenta o fato de estar na frente da classe com todos os olhos, olhando fixamente para você.

Mas no auge do seu medo, ansiedade e nervosismos. Você resolve tomar uma atitude. Você entrar em ação e tomar uma atitude ruim, toma uma atitude horrível, dentre as opções que você tem, você escolhe a pior! Você resolve não se voluntariar!

ao não se voluntariar, seu nervosismo, ansiedade e medo crescem.

A cada aplauso no final de uma apresentação, seu medo e paranóia crescem.

Você começa a ter um olhar confuso em seu rosto, e teme ser chamado para apresentar. O professor chama seu nome, já que resta apenas você para se apresentar.

Aí você sente como se tivesse que fazer melhor do que todos os outros que já apresentaram. Você vai até a frente da classe, está tudo quieto e todos estão olhando para você.

Você se sente como um comediante cuja plateia ficou calada após ele contar as piadas.

O que aconteceria se você tivesse ido logo no começo (corrigir o problema) em vez de esperar ser chamado (mascarando um problema)!

Mascarar um problema é um completo desperdício de tempo.

Meu dente pode aguentar. Essa relação melhorará. Vou apresentar por último, será mais fácil.

Não, meu amigo, não vai.

Mascarar um problema SEMPRE causará mais mal do que bem.

Claro, você terá uma pequena satisfação agora, mas esse dente só vai piorar e custar mais para reparar, esse relacionamento só desperdiçará tempo valioso que você poderia usar numa relação mais satisfatória com alguém mais indicado para você, e essa apresentação esta apresentação está ficando cada vez mais difícil de encarar.

Mascarar os problemas, sabe, é o que a maioria das pessoas fazem, é a “solução fácil” e rápida.

Quantas pessoas você conhece com o seguinte cronograma:
Trabalhe, vá para casa, coma, assiste televisão – redes sociais, vá para a cama.

Elas repetem esse ciclo semana após semana, ano após ano.

Que prováveis problemas elas estão mascarando?

Será que elas estão satisfeitas com seu trabalho, estresse, salários baixos, etc.?

Elas procuram então algo que as possa distrair, e não precisar encarar questionamentos de para onde a vida está indo.

Escute, isso é totalmente compreensível. Quando você não está satisfeito com sua realidade e você sente que não há saída, você procura “prazeres” que te possam anestesiar.

… mas você pode mudar sua realidade.

Obviamente que seja lá o que for que você deva corrigir, muito provavelmente não vai ser corrigido imediatamente. Mas pode ser resolvido, desde que você pare de procrastinar e encare o problema faca a face.

Não fuja, não escolha a solução fácil e rápida que não aborda o problema plenamente.

A correção temporária, a máscara o remendo, acaba por comprar um preço muito alto e criar problemas ainda maiores.

Corrija o problema, não mascare, não ponha remendos, não agrave o problema.

Seja forte, enfrente e vença!

– Jhonny Nergal

Jhonny Nergal
Um iconoclasta; nada é sagrado demais para que não possa ser questionado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up