A patologização da masculinidade

O termo masculinidade tóxica seria um conceito válido?

Os dois objetivos fundamentais no jogo evolucionário da vida são sobreviver (seleção natural) e acasalar (seleção sexual). Para as espécies sexualmente reprodutoras, incluindo os humanos, a evolução dotou os machos e as fêmeas de preferências de acasalamentos que mapeiam os desafios recorrentes específicos enfrentados por cada sexo durante nossa história evolutiva.

Os psicólogos evolucionistas documentaram padrões de preferências de acasalamento que são invariantes ao longo do tempo e do lugar. Em nenhuma cultura alguma vez estudada, as mulheres repetidamente preferiam acasalar com homens submissos, gordos, fracos, de baixo status.

Em nenhuma cultura documentada, as fantasias sexuais das mulheres giram em torno da concessão de acesso sexual a homens falidos e pouco ambiciosos que ocupam o estrato mais baixo da hierarquia social.

Em vez disso, as mulheres são atraídas por tipos masculinos “tóxicos” que se correlacionam com a testosterona, e desejam homens que são socialmente dominantes, que são estrategicamente arriscados em seus comportamentos, e que exibem padrões de comportamentos que lhes permitirão ascender à hierarquia social e defender suas posições de ameaças.

É claro que isso não necessariamente implica que as mulheres não sejam atraídas por homens inteligentes, sensíveis, gentis, calorosa e compassivos. O homem ideal é robusto e sensível; masculino e carinhoso; agressivo em algumas atividades e gentil em outras. Pense no arquétipo masculino nos romances, que é uma forma literária quase que exclusivamente lida por mulheres. Esse arquétipo é universalmente encontrado em romances lidos por mulheres em todo o mundo, precisamente porque atende às fantasias sexuais evoluídas nas mulheres.

Ao se envolver em dramatização sexual no quarto, pouca mulheres pedem que seus parceiros usem uniforme de programador de C++ do Google. Elas pedem que o traje de bombeiro é marque presença.

A guerra contra os garotos, como o feminismo tem sido orientado está prejudicando nossos jovens. Houve! Há! Está havendo um ataque ideológico implacável à masculinidade, decorrente do feminismo radical, cujo exemplo mais recente é o falso termo masculinidade tóxica! Que literalmente, busca patologizar a masculinidade de formas profundamente prejudiciais ao sentido existencial de si mesmo.

Se um homem testemunha uma mulher sendo atacada na rua, ele deveria intervir? Bem, de acordo com a falsa noção feminista de sexismo benevolente, talvez seja melhor desviar o olhar. Salvadores masculinos estão provavelmente exalando masculinidade tóxica!

Mas por, maior que seja o desejo de alguns em querer distorcer a realidade, ela é simples. A maioria dos traços e comportamentos que provavelmente são encontrados sob a rubrica de “masculinidade tóxica” são precisamente aqueles que a maioria das mulheres acha atraente em um parceiro ideal! Isso não é uma manifestação de estereótipos antiquados. É uma realidade tão óbvia quanto a existência da gravidade, e nenhuma quantidade de lavagem cerebral em campus de faculdade altera esses fatos

Ps: Vamos apreciar as formas intermináveis ​​pelas quais homens e mulheres são semelhantes uns aos outros, bem como as formas importantes em que os dois sexos diferem.

Jhonny Nergal
Um iconoclasta; nada é sagrado demais para que não possa ser questionado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up